top of page
  • Bruna Paixão

Dicas para sobrar mais dinheiro no fim do mês!

Que tal fazer sobrar um pouco mais de dinheiro no fim do mês? Vem descobrir como!


Saber o que fazer com o dinheiro não é tarefa fácil para a maioria de nós, brasileiros. Afinal, não somos ensinados a lidar com ele em toda a nossa educação formal. Segundo pesquisa feita pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 2021 foi o ano em que o Brasil bateu recordes em questão de endividamento e inadimplência. Preocupante, não?


Mas como se recuperar nessas situações e conseguir manter o seu dinheiro "na linha"? Foi isso que viemos te mostrar hoje... Separamos cinco dicas para você começar a controlar melhor o seu dinheiro e o da sua empresa, com objetivo de fugir do endividamento e garantir aquela sobra no final do mês! Vem ver:


1. Faça um balanço dos seus gastos


Como primeiro passo, é muito importante entender a sua realidade (muito importante mesmo!). Tire um tempo para analisar as suas receitas (ou seja, o dinheiro que você recebeu) e despesas, (o dinheiro que você gastou). A partir disso, é possível fazer um planejamento de gastos que faça sentido a partir do quanto você ganha. Vale lembrar que juntar essas informações te distanciará de possíveis riscos, como endividamentos e outros problemas financeiros.


2. Priorize os pagamentos de bens essenciais


Todo mundo sonha em comprar algo que deseja muito, não é? Mas é necessário não se deixar levar pelos impulsos, para não cair no endividamento! Mentalize que é necessário dar prioridade para os gastos essenciais (como aluguel, luz, água e internet) antes de comprar utilitários que não sejam extremamente necessários para a sua rotina, tanto pessoal, quanto da empresa. Depois de lidar com estes gastos, se houver dinheiro sobrando, aí sim você poderá comprar bens não-essenciais que deseja ter.



3. Defina gastos de curto, médio e longo prazos


A ideia é definir objetivos financeiros para diferentes períodos de tempo. Assim, você conseguirá reservar, semana a semana, mês a mês, ano a ano (ou o prazo que definir) a quantia estipulada para cada tipo de gasto. Para facilitar sua organização, tenha um local definido para guardar os valores separadamente.


Você pode definir gastos fixos para:


  • curto prazo (o dinheiro destinado para a semana ou para eventuais emergências);

  • médio prazo (o valor para ser usado dentro de alguns meses para compra de maquinário, por exemplo);

  • longo prazo (o dinheiro para alcançar um grande sonho no futuro, como a compra de uma sede ou veículos para a empresa).


4. Não esqueça de separar parte do dinheiro para investimentos


Após organizar suas finanças (e entender muito bem como elas funcionam) é possível traçar objetivos mais claros. O próximo passo então é investir. A grande questão aqui é lidar com o imediatismo: muitos querem resultados rápidos e acabam lidando com o dinheiro de forma desleixada.


Comece pela construção de uma reserva de emergência e, aos poucos, conforme você se familiarizar com o universo dos investimentos, explore outros produtos financeiros mais complexos. Vale lembrar que não é preciso ter muito dinheiro guardado para começar a investir: no caso de títulos do Tesouro Direto, por exemplo, há boas opções a partir de R$35.


5. Acompanhe suas despesas e faça tudo de novo


Agora que você já se organizou e já conquistou confiança quando o assunto é finanças, mantenha a prática. Entender como você gasta e quais são os seus padrões é fundamental para viver em paz com o seu dinheiro ou com o dinheiro da sua empresa.



Gostou do conteúdo? Deixa seu like e comenta aqui para sabermos!

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page